Notícias rápidas

 

Vingança motivou roubo a prédio no Morumbi

O segurança Ricardo Martins da Costa não se conformou com a demissão por justa causa e resolveu se vingar do patrão. Ou melhor: da empresa que prestava serviço ao condomínio de luxo onde trabalhava, no Morumbi, na zona sul da capital. Segundo a polícia, Costa não pretendia só roubar apartamentos, mas sim mostrar a fragilidade no acesso ao prédio. O segurança está preso acusado de ter assaltado o edifício em 19 de maio com outros dois homens, um deles, seu irmão.

Emerson Martins da Costa e Michael da Silva Leal também foram detidos após prisão temporária decretada pela Justiça, há dez dias. Na versão do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), o segurança conhecia um ponto estratégico nos muros do Condomínio Ventana para colocar uma escada revestida nas extremidades para não deixar vestígios na parede. Ele subiu até o último andar e utilizou uma passagem de manutenção para chegar à cobertura, onde passou cerca de sete horas.

Costa escolheu como vítimas moradores da cobertura e um apartamento no quinto andar. Depois de roubar com os comparsas objetos dos dois imóveis, os acusados prenderam as vítimas na cobertura – algumas pessoas tiveram as mãos presas por um lacre plástico. Levaram dois netbooks, um iPad, uma pequena quantia de dólares e euros, relógios e roupas. Joias, segundo a Polícia Civil, eles separaram, mas não levaram.

Na conversa com o delegado Antônio Carlos Heib, do Deic, Costa teria dito que queria “vingança”, mesmo sabendo que seria investigado por uma equipe especializada. Em um vídeo gravado pelos investigadores, o suspeito lamenta ter sido dispensado e diz que “nunca vai esquecer o episódio de demissão”. “Ele tomou todos os cuidados para não deixar pistas. Pensou que nunca chegaríamos nele”, comentou o delegado.

“No primeiro momento, não tínhamos uma resposta para uma pergunta simples: como os ladrões entraram no local”, explicou Heib. Os policiais passaram a recolher material nos apartamentos e informações fornecidas pelas vítimas até descobrirem na própria empresa de segurança que o rapaz demitido prometeu se vingar. “Levantamos áudio e imagens e conseguimos que vítimas fizessem o reconhecimento dele e dos outros”, disse. “Na cabeça dele (Costa), ele foi demitido injustamente e quis roubar de uma forma que se vingasse também.”

A empresa responsável pela vigilância do condomínio, a Haganá, uma das maiores do setor, não detalhou o motivo da demissão do acusado. Segundo o diretor de planejamento da empresa, Chen Gilad, 95% dos invasores têm informações sobre a rotina dos prédios. “O bandido estuda o local antes. A nossa rotina vai ser a mesma”, garantiu. De acordo com Gilad, o muro que teria sido utilizado pelos três homens já passa por adequações de segurança.

Fonte: Jornal da Tarde - Camilla Haddad

 

 

INFORMATIVO JULHO/2010

Conforme ja comentamos, a novela da FIFA-Estádio dvaçãoo do estádio pela Fifa e o recebimento do orçamento para a adequação para o novo o Morumbi continua. Após o anúncio oficial pela aproprojeto (R$630 milhões), surgiram comentários sobre a construção de novo estádio em Pirituba e que o SPFC desistirá da abertura da Copa e que apresentará novo projeto com custos previstos em torno de R$250 milhões. Após o comitê paulista prosseguir apoiando o Morumbi e dizer que não desistiriam de ter o Morumbi como sede do jogo de abertura, no dia 16/6 a Fifa anunciou a exclusão do Estádio Cícero Pompeu de To/ledo, o Morumbi, da Copa do Mundo de 2014. A notícia foi confirmada por Ricardo Teixeira, presidente do Comitê Organizador do Mundial. Com o veto, a cidade de São Paulo terá que buscar uma nova alternativa para sua participação: a construção de uma nova arena. Os governos  municipal e estadual negam que irão ceder recursos para a construção do novo estádio. Essa posição deixa brecha para uma possível reviravolta na decisão da Fifa, e permitir o retorno do Morumbi na briga pela escolha da arena para a Copa de 2014 em São Paulo.
Em 25/6/2010 o governador de São Paulo, Alberto Goldman, sancionou a lei nº 14.163 que autoriza o governo estadual a realizar operações de crédito no valor 1,33 bilhão para investimento na construção da Linha 17-Ouro do Metrô (que vai ligar o Aeroporto de Congonhas à região do Morumbi) e em obras de urbanização no entorno do estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi. A aprovação da lei pela Assembléia Legislativa de São Paulo e sua sanção pelo governador é parte do processo que antecede a busca de credores e a contratação do empréstimo, segundo a assessoria do governador. A aprovação da lei é uma demonstração de que a decisão da Fifa não alterou os planos do governo estadual quanto aos investimentos no Metrô e no estádio.
O que podemos verificar com o andamento do assunto é que teremos resultados definitivos somente após o término da Copa 2010 na África e das próximas eleições.

ENCONTRO  REGIONAL  DE CONSEGs. DA CAPITAL  -  DECAP - CPC

Capital, em conjunto com o DECAP e o CPC, com a finalidade de: - comemorar os 25 anos da criação dos CONSEGs.; - ouvir a comunidade e os Em 16/junho/2010  aconteceu o Encontro Regional dos CONSEGs da lideres das Polícias quanto às propostas para mudança do Regulamento dos CONSEGs.; - promover o incentivo , a reativação/criação e recadastramento geral de todos os CONSEGs.do Estado; e – motivar e capacitar os lideres de CONSEG para melhor desempenho de suas responsabilidades e na gestão do sistema informatizado.
Na foto diretores presentes no Encontro:T.Cel.Terra/Coord.dos
CONSEGs., Júlia Titz/Presidente do CONSEG-Morumbi, Dr. Gambarini/Del.Titular 34º DP., Carlos A.Garcia e Eliana Dourado/
Diretores do CONSEG Morumbi e Pellegrino Bacci/Diretor do CONSEG Bauru Centro Sul.

 


 

 

 

 

 

PROMOTORIA  COMUNITÁRIA  DO CENTRO

O Ministério Público de São Paulo inaugurou em 30/6/2010 a 4ª unidade da Promotoria Comunitária, com a presença do Exmo.Sr.Procurador Geral de Justiça Dr.Fernando Gretta Vieira, Dr.Cláudio Lembo, Proc.Dr.Rossini, Dep.est.Fernando Capez, entre outras autoridades. A Promotoria Comunitária do Centro trará maior interação da comunidade com o Ministério Público, pois é um projeto que procura agilizar os processos e pedidos que o MP recebe, diminuindo a lentidão da justiça. Nos locais que foram instalados (Santo Amaro, Guarulhos e S.Simão), os índices de violência caíram, de acordo com o Ministério Público. Na ocasião foram expostos conceitos de trabalho em rede, além da demonstração de modelos para o exercício do direito de petição. Estiveram presentes ao evento, pelo Morumbi: Júlia Titz/Pres.Conseg Morumbi e Celso Cavallini/Pres.Conseg Portal do Morumbi.

 

 

 

 

 

SEGURANÇA EM GRANDES EVENTOS

Em 1º de julho o CONSEG Morumbi, representado pela sua presidente, compareceu à palestra “A atividade de Inteligência de Segurança Pública para Grandes Eventos e Administração Pública”, ministrada por Dr.Régis Limanha, Coordenador Geral de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) e Presidente da Comissão de Segurança para a Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016. O objetivo da palestra foi ampliar o nível de conhecimento sobre os serviços de Inteligência, Informação e Contra-Informação de Segurança Pública durante grandes eventos, como a Copa 2014. 

 

 

INAUGURAÇÃO  DO  DATA CENTER  DA  POLÍCIA  CIVIL


Com as presenças do governador do Estado, Alberto Goldman, e do secretário da Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, foi inaugurado no dia 2 de junho o Data Center da Polícia Civil, que armazenará a central de dados da instituição. O delegado geral, Domingos Paulo Neto, apresentou as novas instalações que têm por objetivo proporcionar um melhor atendimento à população paulista, o aperfeiçoamento da segurança das informações e aumentar os índices de esclarecimentos criminais. ”As ferramentas cibernéticas ora em uso pela Polícia Civil colocaram-na ao lado das organizações policiais mais avançadas do mundo”, disse o delegado geral. Num Estado aonde a população chega a mais de 40 milhões de habitantes, a instituição possui importantes ferramentas de pesquisa, que agiliza e facilita os esclarecimentos criminais e o atendimento à sociedade.
O diretor do Departamento de Inteligência da Polícia Civil (Dipol), Edemar Ercilio Luchiari, explicou que o Data Center trará como benefício não só a integração de todos os sistemas policiais, mas permitirá que a Polícia Civil possa se integrar com outros órgãos institucionais, assim como trará maior eficiência no acesso à base de dados, ampliando a disponibilidade dos mesmos. O Data Center deverá centralizar e distribuir informações de identificação civil e criminal, Sistema Alpha, Phoenix (identificação de presos), arquivos da Delegacia Eletrônica, emissão de RG, sistemas de identificação telefônica, Registro Digital de Ocorrência (RDO), Inquérito Policial Eletrônico, entre outros sistemas.

 

 

PLANO DIRETOR

No junho dia 2 de, cerca de 500 manifestantes se reuniram em frente ao prédio da Câmara dos Vereadores para protestarem      em defesa do Plano Diretor, que, atualmente, está passando por um processo de revisão. O documento é fundamental para determinar as diretrizes de vários setores da cidade, como habitação, mobilidade urbana, meio ambiente, economia e participação. Organizações da sociedade civil reclamam que o processo foi colocado sem uma avaliação do atual PD e incluiu uma série de alterações que não deveriam ser da alçada de uma revis- ão – tal como alterações no zoneamento e coeficiente de aproveitamento, medidas que devem beneficiar mercado imobiliário em detrimento do interesse público.
Uma comissão dos manifestantes chegou a obter autorização para conversar com o presidente da Câmara Municipal, o vereador Antônio Carlos Rodrigues. O parlamentar, porém, deixou claro que a sua intenção não era a de estabelecer um diálogo com os ativistas. Segundo o urbanista Kazuo Nakano, do Instituto Polis, um dos três representantes dos manifestantes chamados para a negociação, Rodrigues afirmou que o projeto que recentemente foi colocado na internet (sem qualquer publicidade) não é ainda o projeto final – este será discutido a portas fechadas. O vereador prometeu que, mesmo o texto não sendo debatido com a sociedade, ele será aprovado “até o fim de meu mandato (na presidência da Câmara), em dezembro”.  Nakano lamenta: “Não há uma mentalidade de tornar públicas as discussões sobre o PDE”. Para ativistas presentes na manifestação, a Câmara vem se mostrando um fórum cada vez mais blindado e que trabalha cada vez menos em prol do interesse da sociedade.   

 

  


SEGURANÇA – PREVENÇÃO
Na busca da melhoria da segurança e prevenção, a 2ª Cia./16º Batalhão tem realizado palestras de orientação aos moradores da região, ministradas pela Comandante Cap.PM.Raquel Cândido. Além de informar o funcionamento operacional da Polícia Militar da área, orienta nos corretos procedimentos preventivos a serem adotados. As palestras ocorrem na sede do CONSEG Morumbi,  em condomínios e grupos de residências que tenham interesse ou que, em razão da incidência criminal que a Polícia Militar  entenda ser necessário.

 

– FICHA LIMPA
Nunca foi tão evidente na esfera eleitoral a diELEIÇÕESferença entre teoria e prática. Em teoria, uma batelada de brasileiros não poderá pleitear mandatos na eleição de outubro próximo em razão da recente decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de que candidatos com ficha suja, tanto os condenados por um colegiado antes da sanção da Lei da Ficha Limpa quanto os que vierem a ser condenados depois, estarão impedidos de buscar o voto. Na prática, muitos tentarão driblar a disposição legal, dentre eles os quase 5 mil agentes públicos que o Tribunal de Contas da União (TCU) tornou inelegíveis.  Na teoria, o sonho acalentado por brasileiros de todas as classes está prestes a se realizar com a aplicação rigorosa da importante lei encaminhada ao Congresso Nacional com o endosso de 1,6 milhões de assinaturas. Na prática, o sonho poderá não resistir às peripécias de uma turma que, inconformada, dará plantão nos sinuosos corredores da Justiça.
Ao lado de políticos tradicionais, entram no buraco negro da inelegibilidade os 4.922 agentes públicos com contas julgadas irregulares nos últimos oito anos. A relação, preparada pelo TCU e encaminhada à Justiça Eleitoral, inaugura um novo capítulo na história da moralização política no país. O que sobrará da camada suja que chegará aos tribunais para um banho de purificação? Neste novo ciclo da vida política, a sociedade fixa os olhos na toga dos juízes. Para saber se pode continuar a sonhar no futuro ou voltará a ter os pesadelos do passado.
(Gaudêncio Torquato – Professor titular da USP e Consultor Político e de Comunicações)

  


PRÓXIMA REUNIÃO – 20.07.2010, às 19h30m, em sua sede (Pça.Roberto Gomes  Pedrosa, 124/fundos da Base  da PM)

 

==============================

 

Festas em mansões tiram o sono de vizinhos

Com o grande número de casas vazias em bairros nobres paulistanos como o Morumbi e Pacaembu que não conseguem ser vendidas no mercado, cada vez mais imobiliárias e proprietários estão alugando os endereços para festas de particulares. Por R$ 15 mil, é possível fazer uma festança em um sobrado amarelo no Morumbi. Por R$ 20 mil, aluga-se por dois dias uma mansão no Alto da Lapa com 3.500 metros quadrados de área. Já por R$ 50 mil, o endereço pode ser no Pacaembu, com piscina e o dobro da metragem. Quem sofre com isso são os vizinhos, que não conseguem ter sossego, mesmo ligando para a subprefeitura ou para a Polícia Militar (PM).

"De mês em mês fazem uma festa aqui na casa do lado. Eu já liguei dezenas de vezes para todas as instâncias. Sou um colecionador de protocolos, mas nada adianta", reclama o designer gráfico Maurício Molina, morador do Jardim São Bento, na zona norte da capital. "O Psiu (Programa de Silêncio Urbano) diz que não pode fazer nada e a PM até vem, mas logo que a viatura vai embora a música alta volta. Aqui em casa temos dormido à base de protetores de ouvido."

Segundo a PM, de 2006 a 2010, os casos de "perturbação do sossego" cresceram 226% pelas ruas de São Paulo. As reclamações feitas por moradores que não conseguem dormir por culpa do barulho do vizinho crescem de 392 em média durante a semana para 1.118 de sexta-feira a domingo. O problema é ainda maior porque a legislação é falha e repleta de lacunas.

O Plano Diretor da cidade define como horário de silêncio em zonas residenciais o período das 22 às 7 horas. Mas o Psiu não pode atuar em residências, apenas em estabelecimentos comerciais. Já a Polícia Militar pode até fazer papel de mediador, mas não tem como multar, muito menos entrar na casa para abaixar o volume.

Licença

As festas só precisam ter licença da Prefeitura se houver venda de ingresso. Mas, se os fiscais não estiverem no local de madrugada para flagrar a irregularidade, não haverá multa nem lacração. "A gente chega ao ponto de ter de ficar xeretando antes na internet para ver se tem alguém anunciando festa aqui no bairro e poder avisar a Subprefeitura com antecedência", reclama Marisa Rodrigues, moradora do Morumbi. "Ou seja: não só não conseguimos dormir, como também temos de fazer o trabalho para o poder público." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Agestado.


==============================

 

Governo de São Paulo sanciona lei 14.163 que autoriza obras no entorno do estádio do Morumbi

Lei dá sinal verde para buscar empréstimos nacionais e internacionais. Proposta também contempla Rodoanel Norte e Teatro de Dança de SP.

O governador de São Paulo, Alberto Goldman, sancionou no sábado (26)  a lei 14.163 que autoriza o governo estadual a realizar operações de crédito no valor de R$ 1,33 bilhão para investimento na construção da Linha 17 - Ouro do Metrô e em obras de urbanização no entorno do estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, na Zona Sul de São Paulo.

A aprovação da lei pela Assembleia Legislativa de São Paulo e sua sanção pelo governador é parte do processo que antecede a busca de credores e a contratação do empréstimo, segundo a assessoria do governador. Segundo o Palácio dos Bandeirantes, a aprovação da lei 12 dias depois de a Federação Internacional de Futebol (Fifa) ter descartado o Morumbi como sede da Copa de 2014 é uma demonstração de que a decisão não alterou os planos do governo estadual quanto aos investimentos no Metrô e no estádio. A Linha Ouro do Metrô vai ligar o Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, à região do Morumbi.

A lei 14.163 também prevê R$ 233,7 milhões para investimento no Teatro de Dança de São Paulo e de US$  1,14 bilhão no trecho Norte do Rodoanel Mário Covas.

A lei autoriza o governo estadual a realizar as operações de crédito junto a instituições internacionais, organismos multilaterais e bilaterais de crédito nacional e internacional, entre eles, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, a Caixa Econômica Federal, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird), Japan Bank for Internacional Cooperation (Jbic) e a Japan Internacional Cooperation Agency (Jica).

A lei estabelece que a as operações de crédito externas serão garantidas pela União e que o estado se compromete a oferecer direitos, créditos e receitas próprias à União como contragarantia.

Veja o que diz a lei 14.163

 

Governo do Estado

Autoriza o Poder Executivo a realizar operações de crédito com instituições financeiras internacionais, organismos multilaterais e bilaterais de crédito, bancos privados internacionais, bem como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES e a Caixa Econômica Federal - CEF, e dá outras providências correlatas.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:

Faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte lei:

Artigo 1º - Fica o Poder Executivo autorizado a realizar operações de crédito junto a instituições financeiras internacionais, organismos multilaterais e bilaterais de crédito, entidades de crédito nacional e internacional, dentre elas o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES, a Caixa Econômica Federal - CEF, o Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID, o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento - BIRD, o Japan Bank for Internacional Cooperation - JBIC e Consórcio de Bancos Internacionais, a Japan International Cooperation Agency - JICA, cujos recursos serão aplicados, obrigatoriamente, na execução dos seguintes Projetos:

I - Complexo Cultural - Teatro da Dança de São Paulo, até o valor equivalente a R$ 233.700.000,00 (duzentos e trinta e três milhões e setecentos mil reais), a cargo da Secretaria da Cultura;

II - Linha 17 - Ouro e obras do entorno do Estádio Cícero Pompeu de Toledo, até o valor de R$ 1.332.000.000,00 (um bilhão trezentos e trinta e dois milhões de reais), a cargo da Companhia do Metropolitano de São Paulo - METRÔ, compreendendo a implementação do Projeto Monotrilho e obras de urbanização no Entorno do Estádio Cícero Pompeu de Toledo;

III - Rodoanel Mário Covas - Trecho Norte, até o valor equivalente a US$ 1.148.633.000,00 (um bilhão cento e quarenta e oito milhões seiscentos e trinta e três mil dólares norte-americanos), e ou o equivalente em moeda nacional à época da contratação, a cargo da Secretaria dos Transportes.

Parágrafo único - As taxas de juros, os prazos, as comissões e os demais encargos serão os vigentes à época das contratações dos respectivos empréstimos, admitidos pelo Banco Central do Brasil, para registro de operações da espécie, obedecidas as demais prescrições e normas.

Artigo 2º - Para assegurar o pagamento integral das operações de crédito contratadas com a CEF e o BNDES nos termos desta lei, fica o Poder Executivo autorizado a ceder ou a dar em garantia, por qualquer forma em direito admitida, os direitos e créditos relativos ou resultantes das cotas ou parcelas da participação do Estado na arrecadação da União, na forma do disposto no artigo 159, inciso I, alínea a, e inciso II, da Constituição Federal.

Artigo 3º - O negócio jurídico de cessão ou constituição de garantia celebrado com a CEF deverá atender às condições usualmente praticadas por aquela instituição financeira, incluindo, entre outras, as seguintes prescrições:

I - caráter irrevogável e irretratável;

II - cessão dos direitos e créditos a título "pro solvendo", ficando a quitação condicionada ao efetivo recebimento dos valores cedidos pelo credor;

III - sub-rogação automática da vinculação em garantia ou da cessão, sobre os direitos e créditos que venham a substituir os impostos previstos no artigo 159, inciso I, alínea a, e inciso II, da Constituição Federal, no caso de sua extinção, assim como em relação aos novos fundos que sejam criados em substituição;

IV - outorga de poderes ao credor para cobrar e receber diretamente da União, ou do banco centralizador que faça as vezes de seu agente financeiro, os direitos e créditos dados em garantia, até o montante necessário ao pagamento integral das parcelas da dívida vencidas e não pagas, incluindo os respectivos acessórios, no caso de inadimplemento do Estado;

V - outorga de poderes ao credor para cobrar e receber diretamente da União, ou do banco centralizador que faça as vezes de seu agente financeiro, os direitos e créditos que tenham sido objeto de cessão, na data de vencimento das parcelas da dívida de responsabilidade do Estado, até o limite do valor devido, incluindo os respectivos acessórios.

Artigo 4º - As operações de crédito externas serão garantidas pela República Federativa do Brasil.

§ 1º - Para obter as garantias da União com vistas às contratações de operações de crédito externas de que trata esta lei, fica o Poder Executivo autorizado a prestar contragarantias ao Tesouro Nacional.

§ 2º - As contragarantias de que trata o § 1º deste artigo compreendem a cessão de:

1 - direitos e créditos relativos a cotas ou parcelas da participação do Estado na arrecadação da União, na forma do disposto no artigo 159, incisos I, alínea a, e II, da Constituição Federal, ou resultantes de tais cotas ou parcelas transferíveis de acordo com o preceituado na mesma Constituição;

2 - receitas próprias do Estado a que se referem os artigos 155 e 157 da Constituição Federal, nos termos do § 4º do artigo 167, acrescentado pela Emenda Constitucional nº 3, de 17 de março de 1993.

Artigo 5º - Os recursos provenientes das operações de crédito serão consignados como receita no orçamento do Estado, ficando a Secretaria de Economia e Planejamento autorizada a adotar as providências que se façam necessárias.

Artigo 6º - Os orçamentos do Estado consignarão, anualmente, os recursos necessários ao atendimento das despesas relativas à amortização, juros e demais encargos decorrentes das operações de crédito autorizadas por esta lei.

Artigo 7º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

Palácio dos Bandeirantes, aos 25 de junho de 2010.

Alberto Goldman

Mauro Ricardo Machado Costa

Secretário da Fazenda

Francisco Vidal Luna

Secretário de Economia e Planejamento

Luiz Antônio Guimarães Marrey

Secretário-Chefe da Casa Civil Publicada na Assessoria Técnico-Legislativa, aos 25 de junho de 2010.

Publicado em : D.O.E. de 26/06/2010 - Seção I - pág. 01 Atualizado em: 28/06/2010

Globo.com/Marcello Lima

 

==============================

 

Prefeitura interdita imóvel no Morumbi

 

Moradores ergueram seis andares em área apenas residencial.
Local, na Zona Sul de SP, era usado como pensão.

 

Fiscais da Prefeitura e policiais civis interditaram com blocos de concreto nesta terça-feira (1) um imóvel no Morumbi, bairro nobre da Zona Sul de São Paulo, porque os proprietários fizeram uma obra de expansão que não é permitida: ergueram seis andares para a construção de uma pensão em uma zona estritamente residencial.

O imóvel fica no número 72 da Rua Doutor Erasmo Teixeira Assumpção e, de acordo com a Prefeitura, a obra ocupou uma área adicional de quase mil m². A força-tarefa da Prefeitura foi comandada pela Comissão Integrada de Fiscalização (CIF), composta pela Secretaria de Controle Urbano (Contru), pela Subprefeitura do Butantã, pela Guarda Civil Metropolitana (GCM) e pela Polícia Civil.

Em nota, a Prefeitura informou que interditou o imóvel por “desvio de finalidade do uso, por não haver planta aprovada” e ainda porque, sem a presença de um engenheiro, arquiteto ou responsável pela obra, ela pode representar um risco. Os ocupantes do local foram orientados a sair.

 

Fonte: Globo.com

==============================

 

 

Morumbi está fora da Copa 2014

 

Nota no site da entidade confirma que estádio do São Paulo não faz mais parte dos planos para 2014. Arena da Baixada segue ameaçada

 

A CBF divulgou, às 13h42m desta quarta-feira, em nota publicada em sua página oficial, que o Morumbi está fora do Mundial 2014.  Segundo a nota, o  Comitê Organizador Local da Copa de 2014 não recebeu do Comitê da Cidade de São Paulo as garantias financeiras do projeto que havia sido aprovado pela Fifa no dia 14 de maio. Por volta das 14h15m, a CBF retirou de sua página principal o link para a notícia - que continuou, porém, publicada.

. Por volta de 15h, a nota voltou a ser chamada na página principal

A entidade retirou o link enquanto esperava uma posição oficial da Fifa para sacramentar a exclusão do estádio. Por volta das 17h, o presidente da CBF Ricardo Teixeira disse, em entrevista à TV Globo, que o comitê espera o projeto de uma nova arena para que São Paulo faça parte da Copa.

Na segunda-feira, o São Paulo havia apresentado as garantias financeiras para realizar obras no Morumbi para a Copa de 2014. No entanto, o clube não adotou o projeto completo, que custaria em torno de R$ 630 milhões e acataria todas as exigências da Fifa. O Tricolor apostou em um plano mais simples, com custo total de R$ 265.423.497. Porém, o Comitê Local informou que não vai analisar o novo projeto. O ministro dos Esportes, Orlando Silva, disse que São Paulo não está fora do Mundial.

- Fico triste que a novela do Morumbi tenha esse desfecho, depois de meses de debate, meses de projeto e de um esforço que o governo fez para viabilizar o orçamento. É inexplicável a situação de São Paulo, a maior cidade do Brasil. Agora a palavra é do comitê paulista, que tem de arrumar uma alternativa para não ficar fora de um evento que vai mobilizar o país – disse o ministro do Esporte, Orlando Silva.

Fonte: Globo.com

 

 

=============================================================================

INFORMATIVO - JUNHO - 2010

 

COPA  2014

 

     A FIFA aprovou o novo projeto do SPFC para a COPA de 2014. Foram previstas alterações no projeto que contemplam as exigências da FIFA, a instalação de cobertura e  rebaixamento do gramado para melhor visibilidade do campo, criará áreas especiais para a mídia e convidados VIP e outras mais. A aprovação da FIFA habilita o estádio a receber uma das semifinais, a escolha da sede de abertura será feita nos próximos meses, possivelmente após a COPA 2010.
Preparar uma cidade como São Paulo para uma Copa do Mundo não é tarefa fácil. É preciso muito planejamento para utilizar toda a infraestrutura disponível da cidade como ponto de partida, além de todas as intercorrências. Existem seis grandes zonas de interesse do evento: 1) Estádio do Morumbi; 2) Entorno do Estádio; 3) Eventos de exibição pública (transmissão dos jogos em espaços públicos); 4) Mobilidade – acessos à cidade: Aeroportos, terminais rodoviários, principais rodovias e rede metroviária; 5) Rede hoteleira; e 6) Pontos turísticos estratégicos.
Para um planejamento mais eficaz foi criado, em junho de 2009 pelo governador José Serra, o Grupo de Trabalho (GT) Paulista, com o objetivo de realizar estudos, eventos e ações para o desenvolvimento estratégico da participação paulista na Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 e que tem tratado do assunto. Reuniões tem sido realizadas com grupos diversos, inclusive com a sociedade civil organizada, para análise dos projetos; dúvidas ainda existem, principalmente em relação às obras do entorno: estacionamento, a estrutura de transmissão televisiva, o TV Compound, perímetro externo, segurança e principalmente a previsão da Monotrilho/metrô Linha 17 Ouro, que fará uma grande intervenção na área. Além de todas estas obras ainda temos a construção da Avenida Perimetral e a canalização do córrego Antônico, com desvio do seu leito.
Como pode ser verificado, ainda temos muito a ser estudado, analisado e discutido. Na fase de análise da parte externa do estádio estão as maiores dúvidas. O CONSEG Morumbi e a ASSEC tem participado das reuniões preparatórias e nessa segunda fase estarão, juntamente com as demais associações,  se empenhando no estudo das obras e assuntos relacionados.
Tem sido veiculado na mídia notícias sobre a possibilidade de alteração dos planos da FIFA em relação ao estádio do Morumbi e sugerindo a construção de um novo estádio em Pirituba. Porém, o que existe de oficial no momento são as notícias que recebemos do Comitê da Copa.

 

INSTITUTO BUTANTÃ – MORTE DA MEMÓRIA CIENTÍFICA


O incêndio em prédio do Instituto Butantã, que não tinha sistema anti-incêndio, destrói a maior coleção de cobras do mundo. Cerca de 450 mil aranhas e escorpiões também foram destruídos. Curador do Museu de História Natural de Oklahoma, Laurie Vitt, disse que o incêndio no Butantã é um desastre que não afeta apenas os brasileiros, mas gente do mundo todo que trabalha com cobras, e acrescentou: “essas espécimes da coleção do Butantã eram tão valiosas quanto obras de arte”. O desafio será refazer essa coleção.

Notícia – Foi encontrada, no dia 19 de maio, uma jibóia morta com 4 metros de comprimento no Córrego Corveta Camacuã (próximo a Av.Jorge João Saad). Representantes do CONSEG Morumbi e da Base Comunitária da PM do Morumbi levaram a cobra ao Instituto Butantã.

      


PRAÇA ROBERTO GOMES PEDROSA


Considerando os procedimentos aos Autos SMA.43.279.397/09 da Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo  da Capital – Ministério Público do Estado de São Paulo, referente à ocupação da Praça Roberto Gomes Pedrosa, foi publicada a Portaria nº 13/SP-BT/2010 da Subprefeitura do Butantã proibindo o uso da praça como estacionamento, com exceção provisória para os dias de feiras-livres e os veículos envolvidos na instalação, carga e descarga de barracas e materiais.

 

 

CONSEG - PREVENÇÃO PRIMÁRIA


Dentre suas finalidades, o CONSEG, conforme o art.4º:  “deve articular a comunidade para solução de problemas ambientais e sociais que tragam implicações policiais”. Isso envolve fatores humanos, materiais, problemas comunitários (se não resolvidos em parceria transformam-se em problemas policiais) e visão ampla da questão da segurança pública.  Os Consegs procuram colaborar com a defesa do espaço urbano e do amor à cidade e ao seu bairro e levar ao conhecimento da SSP e órgãos públicos as reivindicações e queixas da comunidade. TRAGA A SUA SUGESTÃO OU RECLAMAÇÃO.  PARTICIPE!

  


DICAS  DE  SEGURANÇA

CONDÔMINOS/MORADORES

  • Ao entrar no seu condomínio, verifique se há pessoas estranhas nas proximidades. Caso perceba alguma movimentação diferente, não entre, ligue imediatamente para a Polícia Militar (tel.190).
  • Aguarde para entrar ou sair se o porteiro estiver identificando um estranho.
  • Procure conhecer os hábitos de seus vizinhos e relacione-se bem com todos.
  • Antes de se recolher, verifique se todas as portas e janelas estão devidamente fechadas.
  • Tenha sempre em mãos uma lista de telefones úteis e procure saber a localização mais próxima de um telefone público.
  • Evite condições que possam causar incidentes, tais como janelas e portas danificadas, portões e grades quebradas, dentre outras.

FUNCIONÁRIOS

  • Suspeite das profissões que utilizam uniformes, verifique antes a veracidade de suas funções e a real necessidade de serviços no interior da residência/condomínio.
  • Observe bem as pessoas, fique atento a objetos volumosos que por ventura carreguem.
  • Não se impressione com a boa aparência e suposta autoridade de uma pessoa. Observe se o traje combina com a aparência e também com o seu modo de falar.
  • Nunca permita que pessoas estranhas usem o banheiro ou dependências do condomínio. Oriente para que as pessoas procurem um local público que possa atender suas necessidades.
  • Não forneça informações sobre os moradores e sobre o condomínio.
  • Nos horários de limpeza e recolhimento do lixo, mantenha as entradas do condomínio fechadas.

MORADOR/SÍNDICO

  • Mantenha iluminação suficiente na entrada da residência ou condomínio, evitando a utilização de obras de arte, jardinagem e decorações que possam obstruir a visão do local ou criem pontos de penumbra à distância.
  • Em sua rua ou dentro do seu condomínio forme um grupo ou comissão específica para tratar de assuntos ligados à segurança.
  • Em reuniões, sempre aborde com os demais moradores e participantes, assuntos relativos à segurança da área.
  • A participação de todos os moradores e funcionários em reuniões, onde o tema segurança for tratado é muito importante, incentive-os a participar.
  • Promova e invista no aperfeiçoamento dos funcionários com treinamentos adequados.
  • Caso for terceirizar ou contratar serviços, procure sempre empresas idôneas, com referências e legalmente constituídas no mercado.
  • Não contrate vigias de rua que não tenham credencial da delegacia da área.
  • Ao contratar empregados peça referências, ligue para o empregador anterior certificando a referência, mantenha cópia dos documentos em seu poder

 

 JUNHO  -   MÊS  DO  MEIO  AMBIENTE

 

PRÓXIMA REUNIÃO DO CONSEG MORUMBI:  DIA 20/JULHO/2010,  ÀS  19:30 H, EM SUA SEDE (PRAÇA ROBERTO GOMES PEDROSA, 124/FUNDOS DA BASE DA PM)